Depois de 23 anos, Diocese e Jales troca chanceler


Dando continuidade ao processo de personalidade administrativa, o bispo diocesano de Jales, Dom Reginaldo Andrietta, anunciou a troca de ocupantes de mais um cargo importante da igreja na região. Depois de 23 anos ocupando o lugar de chanceler da Cúria Diocesana, o advogado Mário José Gonçalves foi substituído pelo padre Eduardo Rodrigues Magnani, pároco e Palmeira d’Oeste.

Padre Eduardo Magnani, FOTO:Facebook

O Decreto com a mudança foi publicado no dia 1º de outubro.

Segundo o bispo, a decisão foi tomada depois de reuniões com o próprio chanceler, padres e o Conselho Diocesano de Presbíteros.

Em carta divulgada através da Assessoria de Imprensa, Dom Reginaldo agradeceu e elogiou o trabalho desempenhado por Mário José e informou que ele continuará exercendo o cargo de advogado da Cúria.

“Em nome de nossa Diocese, expresso ao Dr. Mário José Gonçalves o meu sincero e cordial agradecimento pelo intenso e qualificado serviço prestado como Chanceler e renovo-lhe minha confiança para o serviço que continuará exercendo como advogado da Diocese”.

Dr. Mário José Gonçalves. FOTO: Vitor Inácio

Em entrevista à rádio Assunção FM, Dr. Mário explicou que o chanceler atua como uma espécie de “escrivão da diocese”. Entre as suas funções está todo o serviço notário que abrange os batismos, matrimônios, nomeações, circulares e outros.

“É preciso conhecer direito civil e direito canônico porque o trabalho entrelaça documentos com a relação civil da igreja com outros órgãos nos municípios em que ela se situa. Tanto na esfera municipal, estadual e federal. É ele que dá a segurança para essa documentação toda”.

O advogado declarou que há algum tempo vinha analisando a sua saída do cargo para poder se dedicar mais á função de assessor jurídico. “No início ele veio para me auxiliar e eu dei algumas sugestões, mas eu mesmo sugeri a eles que deixassem a Chancelaria para o padre Eduardo e eles refletiram e viram que o momento era agora”.

O padre Eduardo revelou que a decisão vinha sendo preparada havia cerca de um ano e durante esse tempo ele vinha fazendo uma espécie de “estágio”, acompanhando o trabalho da Chancelaria para conhecer melhor o ofício.

“Estou tendo que revisitar o direito canônico e dando uma boa estudada de novo para estar mais por dentro das leis civis. A partir de agora vamos sentar juntos para pensar com mias afinco sobre a chancelaria dentro de um processo mais organizacional para que os trabalhos decorram da melhor forma possível e atendam todas as necessidades não só da Cúria, mas as solicitações que os padres venham a fazer”.