OAB vai a vereadores pedir apoio ao pedido de impeachment


Ao mesmo tempo em que o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) registrava o pedido de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Roussef no Congresso Nacional, em Brasília, uma comissão de advogados protocolava um pedido de apoio na Câmara Municipal de Jales. Por sugestão do presidente da secional São Paulo, Marcos da Costa, o mesmo foi feito de forma simultânea nas 234 subsecções por todo o Estado de São Paulo.

De acordo com o presidente da sub-secção Jales, Marlon Luiz Garcia Livramento, a medida teve como objetivo atender a face cidadã da entidade. “A OAB é uma entidade de classe principalmente voltada para defender os advogados, porém temos o papel social que é defender a sociedade e os bons princípios que regem uma política, que regem os nossos governantes”.

Carlos Alberto Expedito de Britto Neto, vice-presidente estadual da Comissão de Controle Social dos Gastos Públicos, disse esperar que cada uma das câmara atenda a sugestão da ordem, apoiando o pedido de impeachment feito em Brasília.

O advogado ressalvou que não se trata de uma pressão da OAB, mas de vontade da maioria da população.

Na área de abrangência da 63ª Subsecção de Jales há 13 Câmaras Municipais e todas elas receberam o protocolo de apoio. A posição da região será encaminhada à presidência da ordem em São Paulo. “Vai ser importante que tenhamos uma posição para levarmos para São Paulo, reforçando o pedido de impeachment manifestando que a nossa região também não suporta mais essa prática que está acabando com o nosso país”.

Além de Jales, os legislativos de Aparecida d’Oeste, Marinopolis, Palmeira d’Oeste, São Francisco, Santa Albertina, Mesopolis, Paranapuã, Dirce Reis,Vitória Brasil, Urânia, Santa Salete, Pontalinda e Aspásia receberam o pedido de apoio da OAB.

Carlos Alberto lembrou que o apoio da Secional Estadual ao pedido de impeachment foi decidido no dia 4, depois de mais de quatros horas de debates e por ampla maioria dos conselheiros.

“A partir de então, se espalhou por todo o Estado de São Paulo. Somente depois que a deliberação de São Paulo chegou a Brasília é que o presidente nacional conclamou as 27 seccionais para se reunirem a fim de discutir a questão do impeachment. Após mais de 12 horas de debate técnico com oportunidade de manifestação do advogado geral da União, o Conselho Federal, formado por 81 conselheiros, decidiu pelo pedido de impeachment”, disse.

NACIONAL

A OAB, em nível nacional, decidiu se manifestar a favor da abertura do processo de impeachment em uma sessão realizada na Capital Federal, em 18 de março. “A quase totalidade dos ex-presidentes do Conselho Federal, dos presidentes das 27 Secionais e dos 81 conselheiros federais, todos legitimados para representar a Advocacia, pode se manifestar de forma democrática”, disse o presidente da Secional Paulista, Marcos da Costa.