top of page

Jales criou mais de 4 mil postos formais de trabalho em 2023, diz Caged


O maior gerador de emprego com carteira assinada foi o setor do comércio, com 2.138 postos. Em serviços, foram criados 1.466 postos


Gabriel de Oliveira - Departamento de Marketing da ACIJ


Jales registrou saldo positivo de 289 empregos formais em 2023, segundo o Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira, 30/1, pelo Ministério do Trabalho e Emprego. No acumulado do ano (janeiro a dezembro), foram registradas 4.784 admissões e 4.495 desligamentos.


O maior crescimento do emprego formal em 2023 ocorreu no setor do comércio, que é carro chefe de nossa cidade com a criação de 2.138 postos. No setor de serviços, foram criados 1.466 postos; na construção, 125; na indústria, 972; e na agropecuária, o saldo foi de 83 postos.



O salário médio de admissão foi R$ 2.037,94 ao nível nacional.


Nas 27 unidades federativas ocorreram saldos positivos, com destaque para São Paulo (390.719 postos, +3%), Rio de Janeiro (160.570 postos, +4,7%) e Minas Gerais (140.836 postos, +3,2%). Nas regiões, as maiores gerações ocorreram no Sudeste, (726.327), Nordeste (298.188) e Sul (197.659). O maior crescimento foi verificado no Nordeste, 5,2%, com geração de 106.375 postos no ano.


A maioria das vagas criadas em 2023 foram preenchidas por homens (840.740). Mulheres ocuparam 642.892 novos postos. A faixa etária com maior saldo foi a de 18 a 24 anos, com 1.158.532 postos.


DEZEMBRO


Em dezembro, o Jales registrou saldo negativo de -44 postos de trabalho com carteira assinada. No mês passado, foram 362 admissões e 406 demissões, segundo o Caged. Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, a queda ocorreu devido ao ajuste sazonal realizado no mês.


No último mês de 2023, os cinco grandes grupamentos de atividades econômicas registraram saldos negativos: serviços (-23 postos); indústria (-10 postos); construção (-6 postos) e comércio (-6 postos). O único que passou positivo foi o setor da agropecuária(+1 posto).


Com informações do CAGED e departamento de marketing da ACIJ.

Comentários


bottom of page