top of page

Reforma do Viaduto Antônio Amaro deve começar em outubro


A Tribuna

Deve começar em aproximadamente dois meses a obra de reforma e restauração do

Viaduto Antônio Amaro, que passa sobre a linha férrea, ligando o centro à região

mais alta da cidade, pela avenida Francisco Jalles. O valor inicial da obra é de exatos

R$ 3.722.529,84, mas como se trata de um pregão eletrônico do tipo menor preço,

onde vence a empresa que oferecer a proposta mais vantajosa para o município, o

valor deve cair consideravelmente. Os recursos são de Fonte 1, ou seja, oriundos do

tesouro do município. A abertura dos envelopes está prevista para as 9h30 do dia 31

de agosto.


O secretário de Obras, Manoel Andreo de Aro, explicou que o prazo de início do

serviço depende do fim do processo licitatório, que engloba algumas variáveis. Numa

situação ideal, a obra pode começar no início de outubro. “Se tudo transcorrer bem,

em 30 ou 40 dias, no máximo, já poderemos emitir a ordem de serviço. Entretanto,

projetos de alta complexidade, como esse, podem envolver recursos das empresas

concorrentes. São inúmeras situações que podem gerar essa contestação, seja antes,

no dia da abertura dos envelopes, ou depois. As empresas concorrentes podem

questionar o processo, o contrato, a planilha, a habilitação de outra concorrente e

vários outros fatores e isso aumenta o prazo para análise desses questionamentos e o

fim do processo licitatório”.

A vencedora deve realizar os serviços de Reforma e Restauração do Viaduto Antônio

Amaro, com fornecimento de materiais/equipamentos e mão de obra, por tempo

determinado.

Entre os serviços estão proteção, reparo e recuperação estrutural com aplicação de

argamassa industrializada, pintura de proteção de estrutura de concreto utilizando

verniz, pintura de proteção de estrutura de concreto utilizando hidrofugante e

estabilização de talude com solo grampeado, aplicação de selante nas juntas e

execução de reparos no concreto com aplicação de selador líquido.

INTERDIÇÃO

Segundo o secretário, todo o cronograma foi elaborado pensando-se em realizar o

menor número de interdições de tráfego possível, afinal trata-se de uma das mais

importantes artérias viárias do município, por onde passam milhares de veículos todo

os dias. “O seu cronograma é em torno de 12 meses. Elaboramos dessa forma para

conseguirmos não ter interrupções com tempos muitos extensos. Conseguiremos

fazer com interrupções apenas momentâneas. Depois da obra, teremos de volta o

viaduto inteiramente liberado para o tráfego”.

Comments


bottom of page