top of page

PIB per capta de Jales é maior que o de Fernandópolis e Votuporanga


Em 2021, o PIB per capita era de R$ 40.212,72. Na comparação com outros

municípios do estado, ficava nas posições 223 de 645 entre os municípios do estado e

na 1426 de 5570 entre todos os municípios


Há duas semanas, o jornal O Extra, de Fernandópolis, publicou uma compilação

produzido pelos economistas Jair de Moraes, Edson Damasceno e Geraldo

Paschoalini que concluíram que o crescimento econômico fernandopolense nos

últimos 20 anos sequer acompanhou o ritmo de seus vizinhos territoriais enquanto a

população local assiste a disparada da economia votuporanguense e o aproximar da

jalesense que, no ritmo atual, ultrapassa Fernandópolis em parcos 13 anos. Conclusão

literal da publicação.

O ‘Projeto Desenvolve Fernandópolis’ tem como base dados do IBGE, SEADE,

Estadão e Chat GPT, além da Prefeitura Municipal.



Segundo a publicação, durante vinte anos (de 2000 a 2020), Votuporanga apresentou

crescimento de seu Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 291,9%, Jales de

216,2% e Fernandópolis, na rabeira, de apenas 195,2%.

O PIB de Fernandópolis, que há 20 anos era 55% maior que o jalesense, em 2020

caiu para 30% a mais; comparando com o votuporanguense, naquela data, era apenas

4,8% menor, em 2020 já era 31,6% menor.

Resultado: a liderança votuporanguense abriu mais espaço e se consolidou, enquanto

que, mantida as condições e segundo a projeção dos economistas, Jales ultrapassará

Fernandópolis em 13 anos.

COMPARAÇÃO SETORIAL COM JALES

O PIB da Agropecuária local era, em 2000, 50% maior; em 2020 estva apenas 12% a

mais; a geração de Impostos em Fernandópolis era, naquele ano, 81% maior que em

Jales, em 2020 caiu para 27%; o PIB Industrial era 86% maior, caindo para 21%; o do

Setor de Serviços era 44% maior e agora é 32%. Resumindo, dantes a economia local

era 55% maior que a rival e agora (em 2020) é 30%.

O jornal conclui que os dados consolidados e projetados pelo trabalho dos

economistas são “extremamente preocupantes” e deveriam ser objeto de estudos mais

aprofundados por parte das autoridades executivas, legislativas e comunitárias.

Correto ou não, o levantamento, parece ter esquecido o mais importante: a produção e

renda pessoal dos seus habitantes. Se tivessem analisado esse quesito, o sentimento

de urgência para se manter economicamente à frente de Jales seria ainda maior.

Segundo o Censo 2022, em 2021, o PIB per capita de Jales era de R$ 40.212,72. Na

comparação com outros municípios, ficava nas posições 223 entre os municípios do

estado e na 1426 entre todos os municípios do Brasil. Em 2010, a taxa de

escolarização de 6 a 14 anos de idade era de 98,9%, abaixo dos municípios vizinhos.

Já a população de Fernandópolis, registrava em 2021 um PIB per capita de R$

35.430,06, bem menor que o de Jales. O valor colocou a cidade vizinha na posição

274 entre os outros municípios do estado, e na 1713 entre todos do Brasil. Em 2010, a

taxa de escolarização do fernandopolense de 6 a 14 anos de idade era de 99,4%.

Em Votuporanga, em 2021, o PIB per capita era de R$ 40.190,41. Na comparação

com outros municípios do estado, ficava na posição 224 entre os municípios do

estado e na 1427 entre os municípios brasileiros. Em 2010, a taxa de escolarização do

votuporanguense com idade entre 6 e 14 anos era de 98,8%.

RENDIMENTO E EMPREGO

Há três semanas, o jornal A Tribuna publicou relatório baseado no Censo 2022 que

mostra que Jales também se situa em posição mais favorável do que Fernandópolis e

se equiparava a Votuporanga, no que se refere aos rendimentos e ocupação dos

trabalhadores. Apesar de ter menos empresas estabelecidas dos que Fernandópolis e

Votuporanga. O que significa que aqui o trabalhador é mais bem remunerado.

Por exemplo, o salário médio mensal do trabalhador em Jales era de 2,2 salários

mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de

29,33%. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário

mínimo por pessoa em 2021, Jales tinha 28,2% da população nessas condições.

Em Fernandópolis, 29,12% da população estava empregada e recebia 2 salários

mínimos mensais em média. Menos que em Jales. Considerando domicílios com

rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 27,3% da

população nessas condições

Em Votuporanga, o salário médio mensal era de 2,2 salários mínimos. A proporção de

pessoas ocupadas em relação à população total era de 31,15% e 26,6% da população

vivia com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa.

コメント


bottom of page