top of page

4ª vala do aterro sanitário de Jales vai custar R$ 1.290 milhões


A Prefeitura de Jales está licitando a instalação de uma 4ª vala da 2ª etapa sanitária do

aterro sanitário do município na Rodovia Victório Prandi, Km Um, em Jales. É a

segunda vala instalada neste mandato. A contratação da empresa para execução dos

serviços esta estimada em R$ 1,290 milhão, incluindo o fornecimento de

materiais/equipamentos e mão de obra. O prazo de entrega será de 120 dias, contados

da data do pedido.

O edital da licitação explica que a instalação dessa vale se dá pelo fato, de que a 3ª

etapa da segunda vala, em atividade, está com sua vida útil se esgotando, portanto, a

abertura de licitação para a construção da 4ª etapa se faz necessário para fechamento

da 2ª vala e também, proporcionar condições, para que possamos continuar

depositando o lixo doméstico de forma adequada.

Segundo as dimensões constantes no projeto, a vala está totalizada em 7.223,91m², e

a rede de canalização (sistema de drenagem) totaliza 380,71m.

O Memorial Descritivo explica que na primeira etapa será realizada a escavação com

escavadeira hidráulica para a abertura da vala sanitária, totalizando 20.094,98 m3,

instalação de 9.415,00 m2 de manta termoplástica, PEAD, geomembrana lisa, de 2

mm com aplicação de geotextil não-tecido agulhado.

A secretária de Meio Ambiente, Sandra Gigante, ressalta que trata-se de um aterro

sanitário que atende a todas as especificações da Cetesb. “O nosso aterro é forrado

com uma manta impermeável. Não é um lixão,não. É um aterro sanitário feito do

jeito que a Cetesb pede, inclusive om fiscalização. A vala que está lá ainda tem uma

duração de uns seis meses, mas esse é quase o tempo que leva para construir a nova”.

A secretária de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Meio Ambiente de Jales, Sandra Gigante

Sandra lembra que o aterro poderia durar mais e a prefeitura não precisaria gastar

tanto dinheiro se o índice de reciclagem fosse maior e uma quantidade menor de

material fosse levado para o aterro.

“É um projeto caro e é importante que a população saiba desse valor poque as valas

em Jales não estão durando muito, elas enchem rápido. A população não separa o lixo

e o aterro fica cheio de material que poderia ser reciclado, gerando dinheiro e

aumentando a vida útil do aterro”.

SISTEMA DE DRENAGEM DE CHORUME

Para garantir o isolamento do solo, sersão implantados 524,54 m de tubo em

polietileno de alta densidade corrugado perfurado, inclusive conexões da rede de

drenagem de percolados (chorume), 211,17 m3 de dreno com pedra britada em volta

do sistema de drenagem de gases, 80 metro de tubo de concreto, duas unidades de

poço de visita de 1,60 x 1,60 x 1,60 m, 2 metros de chaminé para poço de visita tipo

em alvenaria,

Os detalhes são bastante técnicos, mas a secretária ressalva que são itens obrigatórios

para atenção á legislação ambiental fiscalizada pela companhia.

“Dentro da classificação da Cetesb, o aterro sanitário e Jales está com 9.8 pontos, que

é uma pontuação muito boa. Isso significa que estamos cumprindo as exigências que

a Cetesb pede. E é essa classificação de profissionais que importa”.

Comments


bottom of page