Vereador Macetão questiona Prefeitura sobre medidas para evitar desvios


O vereador Luiz Henrique Viotto – Macetão (PP), em Sessão Ordinária (11), questionou se a Prefeitura adotou procedimentos internos mais rigorosos com o objetivo de evitar desvios de recursos públicos.

Macetão indagou se, após a operação “Farra no Tesouro 1”, o Poder Executivo adotou procedimentos de comparação permanente de despesas realizadas com a contratação de bens, serviços e obras com contratações semelhantes realizadas por outros entes do poder público e pela iniciativa privada, de forma a garantir a rápida detecção e tomada de providências relativas.

“Após o ocorrido, resolvi perguntar se foi tomada alguma providência. A pergunta para o prefeito é: Você fez alguma coisa para evitar desvios de recursos? Quando surgiu a “Farra no Tesouro 1”, foram propostas medidas, como a contratação de dois contadores. A gente criou esses cargos aqui. A gente está fazendo nosso papel”, falou Macetão.

O vereador Tiago Abra (PP) comentou sobre o requerimento: “Em janeiro deste ano, eu apresentei um anteprojeto de lei, o SAC, que é o Seguro Anti-Corrupção, para evitar obras superfaturadas, por exemplo, um banheiro não pode custar R$ 190 mil. Eu acho que ele [prefeito] nem leu. No caso das seguradoras, o ex-contador foi afastado das funções e o chefe dele, o secretário, foi indiciado e continua trabalhando normalmente. Tem que ser afastado. Ele está sendo indiciado porque ele foi culposamente negligente. Não é porque é amigo nosso que tem que continuar no cargo”, disse.

O vereador Vanderley Vieira – Deley (PPS) ressaltou que os desvios de recursos começaram em anos anteriores: “Não são de agora esses desfalques. Não tem ninguém a favor de falcatrua, não, mas tem que esperar a apuração. Estão esquecendo que as pessoas que estão lá são pais de família. Se erraram, tem que pagar, mas temos que esperar”.

No documento, Macetão também questionou se a Prefeitura adotou procedimentos para reduzir os custos operacionais de bens e serviços públicos e se tomou conhecimento de indicações enviadas, no ano passado, pela Câmara para auxiliar no combate à corrupção.

O requerimento foi aprovado por unanimidade e encaminhado ao Poder Executivo, que tem até 15 dias úteis para enviar resposta ao Legislativo. Todos os requerimentos e suas respostas ficam disponíveis ao público no site da Câmara Municipal (www.jales.sp.leg.br).