Polícia Civil vai investigar circunstâncias da morte do comerciante de Jales que matou os pais e fer


O casal de idosos mortos pelo próprio filho, o comerciante Ademir Magalhães Rondina, 51 anos, na manhã de domingo (21), no bairro Icaraí, em Araçatuba, foi assassinado porque tentou defender a nora. A informação foi passada pela polícia ao site de notícias da TV Tem (G1 Rio Preto). No dia anterior, Ademir teria brigado com a mulher por problemas financeiros e naquela manhã a agrediu com uma faca de cozinha.

Os crimes aconteceram na rua Chile, mas o Ademir foi capturado pela PM na rua Argentina, a cerca de 400 metros da casa em que morava com os pais.

De acordo com a versão divulgada pela PM, depois de matar os pais e ferir a mulher, Ademir fugiu para um terreno vazio onde foi encontrado pelos policiais, que deram ordem para que ele se deitasse no chão. O homem, então teria atacado os policiais com tijolos, quebrado o vidro de uma das viaturas e ferido a mão de um dos policiais.

Local onde Ademir foi capturado pela PM - Folha da Região

A versão da PM ainda está sendo apurada e os policiais que atuaram na ação foram afastados até o final do inquérito, que tem 60 dias para ser concluído.

A investigação da Polícia Civil vai apurar se a morte foi causada pelos ferimentos que ele mesmo se infringiu ou a tiros disparados pela PM; se ele estava desarmado e por que a PM não usou armas não letais (como pistolas de choque) para deter o homem que estava ferido, desarmado e acuado.

O CRIME

De acordo com a versão da PM, por volta das 6h55, a corporação foi acionada, sendo informada, inicialmente, de um possível assalto. Quando a equipe chegou ao local, Rondina estava sentado, ensangüentado e desorientado. Os policiais passaram a conversar com ele, para tentar convencê-lo a se entregar.

Ainda de acordo com a versão dos policiais, Rondina, passou a arremessar tijolos, quebrando o vidro da viatura e ferindo um PM. Alterado, foi em direção dos policiais, que dispararam contra ele para contê-lo.

Informações desencontradas garantem que o empresário foi socorrido ainda vivo, mas morreu no hospital.Outras garantem que ele morreu no local.

SURTO Rondina tinha um comércio de tintas na rua Nove, em Jales. A mãe dele, Marineuza Magalhães Rondina, 70, foi assassinada na cozinha; o pai, Wilson Rondina, 73, na sala. Ambos tentavam ajudar a esposa de Rondina, que sofreu cortes na mão e abdome; ela foi atendida e liberada. Depois das agressões, Rondina tentou se matar.

Na residência morava ainda uma idosa de 96 anos, avó dele, que está acamada, e a filha do casal, que tem 12 e presenciou os crimes, conseguindo fugir.

A PM apreendeu na casa uma faca de serra usada nos crimes, uma corda, uma espada e um arma de fogo carregada com seis munições, três delas deflagradas.

*Com informações da Folha da Região e G1