Todos os direitos reservados .Todo o conteúdo, incluindo texto,fotos e áudios,protegido pela Lei Federal 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pela "Declaração de Hamburgo". Autorizada reprodução desde que citada a fonte.

Contato (17) 99628-5171

ou alexandreribeiro.carioca@gmail.com

Cine Jales vai se tornar multissalas com lanchonete e sorveteria

November 11, 2019

O empresário Alisson Maia, proprietário do Cine Jales, pretende implantar o primeiro complexo de salas de cinema em Jales. Serão pelo menos duas ou três salas em uma mesmo local, que também terá um espaço de alimentação, com lanchonete, sorveteria e amplo hall de convivência. Outros equipamentos como bomboniere e loja de artigos relacionados aos filmes podem ser instalados. O projeto surgiu da necessidade de exibição de mais de um lançamento simultaneamente. A evolução para o conceito multiplex foi natural.

Alisson já está a procura do prédio (ou terreno) e explica que, inicialmente, não pretende desativar o Cine Jales, mas  apenas ampliar os espaços de exibição. “Estamos aqui na Francisco Jalles desde o começo de 2013 e o pessoal já se acostumou. Aqui é o local do cinema em Jales. Só que precisamos de um local onde possamos exibir vários lançamentos ao mesmo tempo”.    

 

A reportagem apurou que as distribuidoras de filmes impõem restrições de agenda que estão cada dia mais difíceis de serem cumpridas pelos cinemas do tipo uniplex (com apenas uma sala). A maioria quer que os filmes sejam exibidos em esquema de tempo integral durante pelo menos duas semanas, monopolizando a sala.

Assim, o “filme A” monopoliza as exibições por duas semanas, impedindo que o “filme B” chegue aos freqüentadores durante aquele período. Assim, “Malevóla – A Dona do Mal” só pôde entrar em cartaz depois de passadas as duas semanas de exibição de “Coringa” e “O Exterminador do Futuro – Destino Sombrio” só poderá ser exibido depois de vencido o período full-time de “Malévola – A Dona do Mal”.

 

“Às vezes, as pessoas querem mais opções de filmes ou querem filmes infantis e com o espaço de multissalas poderemos oferecer essa diversificação. Então, tendo uma variedade você mantém isso funcionando bem, melhora a quantidade de lançamentos e a oferta de filmes, enquanto  atende melhor o seu público”, disse.

Os equipamentos (projetor, mais de 200 poltronas etc) já estão comprados e aguardando apenas a definição do local. O novo empreendimento pode ser instalado em um prédio já construído ou num terreno adquirido especialmente para essa finalidade. Aspectos como localização, segurança e acesso de moradores de outras cidades também são levados em consideração.

 

“Estamos procurando um local adequado, que comporte as adaptações que precisamos porque um cinema exige alguns detalhes específicos. Mas uma outra possibilidade bem forte é adquirirmos um terreno para construir um prédio com todas essas especificações e o projeto que desejarmos. Não temos a necessidade de ficar no Centro da cidade, mas não podemos ficar afastados da região central”. 

Alisson Maia estima que todo o complexo possa ser instalado em uma área de 2 mil metros quadrados. Incluindo as salas, espaço de alimentação e estacionamento para 50 veículos.

O conceito multiplex ou “shopping de cinema” existem no Brasil desde o fim da década de 1990. Eles agregam várias salas num mesmo lugar, com filmes em vários horários diferentes e ampla variedade de serviços.

Please reload

AVCC promove tradicional Bazar de Natal na próxima semana

Procon e Iamspe passam a ocupar ocupar camarins do Teatro Municipal

Prefeito parcela repasses atrasados com o IMPS em 36 vezes

TCE-SP aprova contas municipais, mas critica falta de planejamento, transparência e até descumprimen...

1/3
Please reload