Todos os direitos reservados .Todo o conteúdo, incluindo texto,fotos e áudios,protegido pela Lei Federal 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pela "Declaração de Hamburgo". Autorizada reprodução desde que citada a fonte.

Contato (17) 99628-5171

ou alexandreribeiro.carioca@gmail.com

Vem aí a 26ª Mostra de teatro de Jales

November 4, 2019

Com 9 apresentações de 5 espetáculos e 4 oficinas, vem ai mais uma Mostra Escola Livre de Teatro, que acontecerá de 13 a 17 de novembro. Em cena serão em média 50 atrizes e atores, 6 diretoras e diretores e mais uma média de 20 profissionais que participarão da produção dos espetáculos como, iluminadores, cenógrafos, figurinistas, fotógrafos, designers e comunicação.

Em sua 26ª edição, a mostra ficará por conta de Alberto Gaus e Vanderli Santos do Solar da Mímica de Juquitiba-SP, que a mais de 40 anos vem transformando sonhos em realidade no cenário cultural Brasileiro. A Companhia apresentará um espetáculo e ministrará duas oficinas no decorrer da Mostra.

 

O “X DA QUESTÃO” (Solar da Mímica), de uma forma suave e bem humorada, leva os personagens ao cotidiano de todos nós, a nossa busca diária pelo “tesouro”, percorrendo caminhos tortuosos, sem saber o que o destino nos reserva, buscando sempre o “X” da questão.

Na programação também teremos uma oficina ministrada pela escritora Marilene Teubner.

A Escola Livre levará ao público, como já é tradição, duas peças do Núcleo de Formação, com as turmas de Pequenos Atores, com idades entre 8 e 12 anos, elaborada a partir de vivências das aulas com estudo de autores consagrados, apresentando-se em duas sessões diárias nos dias 14 e 15 de novembro.

Na peça O LEITEIRO E A MENINA NOITE, com dramaturgia de João das Neves, a história se desenrola com o tema do amor impossível de um garoto apaixonado pela noite, ambientada em uma pequena cidade a moda antiga, nos remetendo aos tempos mais simples com o leiteiro entregando o produto de porta em porta resgatando o romantismo daquele modo de vida. Uma narrativa que abre espaço para reflexões tão importantes em nossos dias, como racismo, acúmulo de riqueza e o egocentrismo.

Em TERRA RONCA, da dramaturga Maria de Lourdes Martini, é apresentado o mistério de um ruído inexplicável que parece surgir debaixo da terra. Uma aventura que “não tem vilão”, onde as personagens exploram o desconhecido buscando enigmas trazidos pela vida. Usando a imaginação como principal instrumento e impulso para procurar respostas, e tentar compreender o que parece não ter explicação. Um menino e uma menina, que vão encontrando em seu caminho muito além do que procuravam.

 Já as turmas de jovens e adultos do Núcleo de Formação, apresentará nos dias 16 e 17 de novembro textos dos dramaturgos Vladimir Capella e Mário Fernando Bolognesi, que foram estudados durante as experimentações vividas pelos alunos-atores.

Em COMO A LUA, Vladimir Capella apresenta Payá, um índio que nasce predestinado a sofrer pelo amor de Colom. Em seu desespero, por ter sido abandonado pela amada, morre de tristeza, despertando a compaixão do deus Rudá, que lhe permite dormir por cem anos. Essa narrativa é entremeada por outra, protagonizada por um grupo de crianças contemporâneas, com suas dúvidas e inquietações em relação ao amor, ao nascimento e à morte, traçam um paralelo entre ambos os tempos da história, estabelecendo uma dialética entre os conflitos de Payá e os seus próprios. Como a Lua fala dos ritos de passagem da vida. Aborda nascimento, vida e morte.

Baseado num roteiro de comédia Dell’arte napolitana, PULCINELLA, trás  cena, os quiproquós e embaraços provocados pelas tentativas de dois embusteiros em unir dois casais de enamorados. Elaborando vários planos tentam ludibriar o doutor (pai das moças). Tais planos não são levados a cabo sem, com isso também, levar uns trocados. Uma divertida comédia que leva ao palco dois dos principais temas da comédia ao longo dos séculos: o amor entre pessoas não prometidas ou de classes diferentes; e a busca pelo dinheiro e sua manutenção e com isso garantir a sobrevivência.

A Mostra é realizada pela ECCART – Espaço Cultura Cidadania e Arte e Ponto de Cultura Escola Livre de Teatro, com o apoio da Prefeitura Municipal de Jales.

 

Também conta com as parcerias de: Cine Jales, Ótica Celes, Tok Quadros, Jales Center Hotel, LH Borr, Pirâmide Calçados, Hiton Marques Marketing Digital, Scap Center, JH Barbercort, Hi-Sato Salgados, Restaurante Sol Nascente, Ateliê Meu Xodó.

As apresentações acontecerão na Casa do Poeta (Anexo a Biblioteca Municipal).

Please reload

Cantata de Natal em comemoração aos 60 anos de criação da Diocese de Jales

Hospital de Amor Jales promove a 1ª Corrida pela Vida, em apoio ao Novembro Azul

Começou o 3º Mutirão de Prevenção ao Câncer de Próstata em Urânia

Reunião de liderança destaca “Cases de Sucesso”da Santa Casa de Jales

1/3
Please reload