top of page

SAE/CTA está capacitando profissionais de saúde para o diagnóstico e tratamento de Hanseníase


O prefeito Luis Henrique Moreira e a vice-prefeita Marynilda Cavenaghi iniciaram a semana visitando unidades de saúde do município que estão recebendo a equipe do Serviço de Assistência Especializada e Centro de Testagem e Aconselhamento (SAE/CTA) de Jales, e sendo orientadas sobre diagnóstico e tratamento da Hanseníase. O “Janeiro Roxo” acontece no primeiro mês de cada ano para marcar a luta mundial no combate à doença.

As visitas tiveram início pelas ESFs (Estratégia de Saúde da Família) Dr. Getúlio de Carvalho, no Jardim Arapuã e Luiz Ernesto Sandi Mori, no Jacb. O prefeito e a vice aproveitaram para conversar com as equipes de cada unidade. O chefe de gabinete José Angelo Caparroz Vieira, o secretário de Saúde, Alexis Shiguero Kitayama, a servidora da Secretaria de Saúde, Milene Tarlao Navas Settemo, a coordenadora do SAE/CTA, Dieine Morise Garcia e a estagiária do setor, Isabeli Marcolin Gonçalves, participaram da ação.

Jales Notícias Hanseníase Luís Henrique
O prefeito Luis Henrique e a vice-prefeita Marynilda Cavenaghi visitaram as unidades de saúde do município e acompanharam as ações de prevenção à Hanseníase orientadas pela coordenadora do SAE/CTA Dieine Morise Garcia

Além de alertar para a Hanseníase, o SAE-CTA está orientando sobre as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), principalmente no período de carnaval, mesmo que as festas tenham sido canceladas em todas as partes do Brasil. “É importante lembrar, mesmo que não teremos festas de carnaval, sobre a Prevenção Combinada do HIV, fazendo referência aos testes rápidos de Sífilis, HIV, Hepatites B e C, que realizamos regularmente. Além disso, PEP (Profilaxia pós exposição), PREP (Profilaxia pré-exposição), diagnosticar e tratar outras ISTs, e orientar quanto ao uso de preservativo feminino e masculino. Oferecemos tratamento para todas as pessoas com infecções sexualmente transmissíveis e ainda trabalhamos com a redução de danos, ou seja, os cuidados com uso de drogas”, disse Dieine.

O prefeito Luis Henrique falou sobre a importância das visitas a todas as unidades de saúde da cidade. “Depois de uma reunião produtiva com o nosso secretariado, iniciei a semana visitando as ESFs do município. Na oportunidade, conversamos com nossos servidores e participamos da abertura de uma palestra sobre hanseníase, voltada aos profissionais da área, em alusão ao Janeiro Roxo, mês da luta mundial de combate à doença. Ouvimos as demandas e sugestões, são inúmeras as melhorias solicitadas pelas equipes, teremos muito trabalho a ser feito em prol do setor. Nosso objetivo é melhorar ainda mais o setor de saúde do município para ofertar um serviço de qualidade para a população”.

As visitas do prefeito terão continuidade ao longo da semana nas unidades Novo Mundo e Oiti (terça-feira), Roque Viola e Paraíso (quarta-feira), São Jorge e Municipal (quinta-feira), Uniamérica e Rural (sexta-feira), SAE/CTA e Secretaria Municipal de Saúde (segunda-feira, dia 1º) e Núcleo Central de Saúde e Laboratório SUS (terça-feira, dia 02).

A Hanseníase

Conhecida antigamente como lepra, a Hanseníase tem cura, mas se não for tratada pode deixar sequelas. Entre os primeiros sinais estão manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele. E, neste ano, por conta da pandemia da Covid-19, a campanha gira em torno da divulgação de informações sobre a hanseníase em todas as unidades básicas de saúde de Jales e no SAE/CTA.

O Brasil é o segundo país do mundo com o maior número de casos da doença. A Índia encabeça esta lista, segundo dados da Sociedade Brasileira de Hansenologia. A cada ano, são diagnosticadas mais de 30 mil pessoas com hanseníase no Brasil. A doença afeta os nervos e o doente perde a sensibilidade ao calor ou frio, ao toque e à dor.

Dieine falou sobre a importância do diagnóstico precoce e reforçou que o tratamento é gratuito e oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O diagnóstico pode ser feito em um consultório ou ambulatório, com o médico analisando as lesões na pele com manchas e alterações neurológicas específicas. “Os pacientes podem perceber que partes da pele podem não ter sensibilidade e ainda sentirem dormências e formigamentos”. Todos os sintomas e os tipos de Hanseníase foram exibidos em vídeo nas unidades. A profissional alertou ainda para o fato de que todas as pessoas que convivem com alguém que tem hanseníase sejam avaliadas“, completou.

O SAE/CTA de Jales está localizado na Rua na Rua França, nº 2300, (esquina com a Rua 7), na Vila Goldoni. O telefone de contato é o (17) 99781-7900. Todo o protocolo de segurança em relação à COVID-19 está sendo seguido pelos profissionais da unidade.

Kommentarer


bottom of page