top of page

Ricardo Gouveia pede instalação do Tiro de Guerra em Jales


O vereador Ricardo Gouveia apresentou uma Indicação ao prefeito Luis Henrique Moreira, pedindo que ele envie ao Poder Legislativo um projeto de lei que autorize um acordo de cooperação com a 2ª Região Militar do Exército Brasileiro para instale em Jales uma unidade do Tiro de Guerra. Junto à Indicação, o vereador anexou uma minuta do projeto.

A implantação da unidade do Tiro de Guerra no município de Jales, em parceria com o Ministério da Defesa, por intermédio da 2ª Região Militar do Exército Brasileiro, visa proporcionar de forma produtiva, prática e econômica à juventude a oportunidade de prestação do serviço militar inicial, explicou.

As forças armadas oferecerão os instrutores que participarão da preparação dos jovens com idades entre 13 e 17 anos, garantindo o cumprimento da Lei do Serviço Militar, além de promover as medidas de segurança necessárias para o treinamento militar.

“Mais do que uma instituição militar, o Tiro de Guerra é um patrimônio da sociedade, uma vez que, além de permitir o cumprimento da Lei de Serviço Militar, também oferece ao jovem do interior a oportunidade de servir à Pátria e contribuir na defesa de seu país”.

O Tiro de Guerra possui uma função muito semelhante à dos quartéis convencionais do Exército. É uma espécie de extensão em menor proporção, especialmente adequada para cidades menores do interior, onde não é possível implantar um grande grupamento militar. Desse modo, atua na formação e na consolidação do civismo e da cidadania dos jovens voluntários.

Além de cumprir o período destinado ao serviço militar obrigatório, as pessoas formadas pelo Tiro de Guerra podem atuar nos casos de calamidade pública, catástrofes, garantia da lei e da ordem, controle de distúrbios civis, além de diversas outras atividades que zelam pelo bem estar social. “Isso trará benefícios gerais ao nosso município e na formação do jovem cidadão, algo muito além do manejo da arma que lhe é ensinado”.

O projeto sugerido pelo vereador autoriza o município a realizar obras e investimentos para a construção e manutenção da sede e demais dependências destinadas ao Tiro de Guerra, bem como adquirir ou locar imóveis para essa finalidade; Designar servidores municipais para auxiliar, instruir e colaborar com as operações e funcionamento do Tiro de Guerra no município; Promover procedimentos administrativos de aquisição a fim de prover móveis, utensílios, materiais e polígono de tiro ao Tiro de Guerra.

Além de providenciar ajuda de custo para os atiradores que se encontrem prestando serviço militar no Tiro de Guerra, no valor mensal a ser definido pelo Município, de acordo com a disponibilidade orçamentária. A ajuda de custo será repassada somente durante o período de instrução do Tiro de Guerra, ou seja, de março a novembro, cessando seu pagamento no encerramento do período de instrução ou por qualquer motivo em que o atirador for desligado do Tiro de Guerra.


Commentaires


bottom of page