top of page

Prefeitura inicia reforma do Viaduto Antônio Amaro que desde 2015 estava interditado para veículos acima de seis toneladas


Foram iniciadas recentemente as obras que irão permitir a restauração de um dos principais viadutos de Jales, o Viaduto Antônio Amaro, localizado na Av. Francisco Jalles, uma das principais ligações entre o centro e diversos bairros da cidade.

A construção desse viaduto teve como objetivo a sobreposição da via férrea que atravessa o município. De acordo com a empresa responsável pela realização da obra, o prazo inicial de execução será de 12 meses.



Construído na década de 1960, o viaduto está em uso há cerca de 60 anos. Ele possui uma superestrutura em concreto armado moldado no local, com um comprimento aproximado de 210 metros, dividido em três trechos: dois de 80 metros e um de 50 metros. A superestrutura é sustentada por 18 pilares de seção retangular, distribuídos em pares sobre 11 eixos transversais. Dez desses eixos estão espaçados a cada 20 metros, exceto o vão sobre a linha do trem, que tem uma distância de 30 metros. A seção transversal da superestrutura é celular, com 6 metros de largura e 1,7 metros de altura, e o tabuleiro tem aproximadamente 11 metros de largura, com pavimento rígido para veículos e pedestres. Nos dois últimos vãos, a viga longarina possui uma maior largura. Nos encontros do viaduto, foram construídos aterros para atingir os níveis de chegada e saída.

De acordo com o secretário de Obras, Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano, Manoel De Aro, “a observação de anomalias no comportamento estrutural e o desconhecimento das características do viaduto, além do tempo prolongado em serviço, levaram a Prefeitura de Jales a contratar serviços de investigação, análise, diagnóstico, projeto de recuperação e monitoramento topográfico para elaborar o projeto de reforma e reestruturação, tudo isso foi feito a pedido do prefeito Luis Henrique Moreira”.



Segundo os engenheiros da Secretaria de Obras, os problemas encontrados na estrutura incluem desplacamentos de concreto devido à corrosão de armaduras, fissuras inclinadas e corrosão nos muros de ala do encontro, com a parte superior do viaduto, baixo cobrimento de armaduras, erosão do talude próximo à via férrea, recalque do pavimento provocando desníveis nos encontros do viaduto, sistema de drenagem obstruído, manchas de umidade nas extremidades laterais do tabuleiro, umidade e matéria orgânica nas juntas de dilatação, erosão do solo e perda de solo no aterro.

Os serviços a serem executados incluem a recuperação estrutural das áreas de concreto com corrosão de armaduras e do pavimento conforme a profundidade necessária em cada ponto. Será realizada a estabilização e proteção do talude próximo a um dos eixos comprometidos, junto à linha férrea. Além disso, haverá solda e fixação dos elementos danificados que constituem os gradis de proteção. O secretário Manoel de Aro, informou que em algum momento será necessária a interdição do viaduto, e que a Secretaria de Comunicação Social informará a população sobre a interdição e rotas alternativas para não afetar o fluxo de trânsito.

O prefeito Luis Henrique frisou que “essa obra é de extrema relevância, principalmente em função da localização do Viaduto Antônio Amaro, o principal acesso para o comércio central e também no sentido centro bairros. É uma obra que demandará investimento de quase R$3,5 milhões e somente em nossa administração saiu do papel, pois sabemos que o viaduto está interditado desde junho de 2015 para veículos pesados acima de 6 toneladas afetando a logística de nossa cidade. Finalmente vamos conseguir solucionar esse problema que se estende há anos e proporcionar mais segurança para a nossa população”.

Commentaires


bottom of page