top of page

Início do outono será marcado por tempo instável e chuvas por todo o estado, segundo a Defesa Civil


Estação começa nesta segunda-feira, 20, com temperaturas elevadas e chuvas típicas do verão, havendo possibilidade de tempestades em algumas regiões do estado de São Paulo


Nesta segunda-feira, 20, a partir das 18h24, terá início o outono. A estação que marca a transição do verão para o inverno é caracterizada pelas temperaturas mais amenas e quedas das folhas das árvores. No entanto, segundo os meteorologistas da Defesa Civil do Estado de São Paulo, o outono deste ano terá início com chuvas típicas do verão. O tempo permanecerá instável, com sensação de calor e abafado, ocasionando chuvas no final da tarde. Inclusive, em alguns dias haverá tempestades em algumas regiões do estado, principalmente nos municípios da faixa leste, incluindo a Capital, Região Metropolitana e Litoral Paulista.

Para o meteorologista da Defesa Civil, Willian Minhoto, o final do mês de março e primeira quinzena de abril manterão as características do verão, com temperaturas elevadas ao longo do dia e formação de chuva forte no final da tarde. "Teremos um início de outono ainda com condições bem típicas de verão, ou seja, pancadas de chuva isoladas, seguidas por raios, vento e até mesmo granizo", ressalta Willian Minhoto.Já na segunda quinzena de abril teremos a chegada da primeira frente fria mais intensa de 2023, a qual derrubará as temperaturas e causará chuva forte, persistente e com acumulados expressivos. Os modelos meteorológicos indicam que esse fenômeno ocorra entre o final da primeira quinzena e início da segunda quinzena do mês.Com este cenário de chuvas generalizadas pelo estado, a Defesa Civil mantém as orientações a toda população acerca dos riscos gerados pelas chuvas intensas, como deslizamentos de terra, alagamentos e enxurradas. "Precisamos ficar atentos, pois a chuva ainda permanecerá por mais alguns dias, por isso, a Defesa Civil segue monitorando as condições meteorológicas e apoiando os municípios paulistas", reforça o Tenente Coronel PM Araujo Monteiro, Diretor da Defesa Civil do Estado.A população jamais deve enfrentar áreas com alagamento ou enxurradas, uma lamina d’água com 15 cm pode arrastar uma pessoa e com 30cm um veículo. Já áreas de risco de deslizamento requerem monitoramento constante. Durante as chuvas, os moradores precisam ficar atentos ao surgimento de rachaduras nas paredes dos imóveis, postes e árvores inclinados, portas e janelas emperradas e água lamacenta descendo da encosta. A qualquer um destes sinais deve-se abandonar o local e ligar para a Defesa Civil pelo número 199 e Corpo de Bombeiros pelo número 193.

Commenti


bottom of page