top of page

Governo de SP anuncia vacinação contra COVID-19 para idosos de 65 a 67 anos em abril

Imunização de novas faixas começa nos dias 14 e 21 com chegada de vacinas da Fiocruz nesta semana; SP já aplicou mais de 7 milhões de doses

O Governador de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (7) a ampliação da campanha de vacinação contra COVID-19 para idosos com idade entre 65 e 67 anos ainda em abril. O novo grupo totaliza 1,11 milhão de pessoas. O avanço da campanha depende da chegada das vacinas da Fiocruz ainda nesta semana para êxito no cronograma definido pelo PEI (Plano Estadual de Imunização). O objetivo é iniciar a vacinação de pessoas de 67 anos (350 mil pessoas) no próximo dia 14. Uma semana depois, no dia 21, outras 760 mil pessoas com 65 e 66 anos poderão receber a primeira dose. Nesta quarta, São Paulo ultrapassou a marca de 7 milhões de doses já aplicadas na população do Estado. Às 12h45, o Vacinômetro marcou 7.026.192 doses, somando 5.157.980 de primeira dose e 1.868.212 da segunda, o que significa que mais de 1,8 milhão de pessoas já estão com o esquema vacinal completo.

Coletiva de Imprensa na qual o governo anunciou as novas faixas etárias de vacinação

Os resultados incluem novos públicos integrados à campanha em abril: os idosos de 68 anos, desde o dia 2, além dos profissionais das forças de segurança que atuam em São Paulo e começaram a ser vacinados na última segunda (5). Na próxima segunda (12), o cronograma inclui os trabalhadores da educação básica de escolas públicas e privadas a partir de 47 anos. "Como disse o Governador, é a vacinação chegando ao braço de quem realmente precisa e da população mais vulnerável à doença", declarou a Coordenadora Geral do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula. Todas as pessoas que integram os públicos da campanha podem acessar o site Vacina Já ( vacinaja.sp.gov.br ) para confirmar o pré-cadastro. O preenchimento do formulário leva de um a três minutos e economiza até 90% do tempo de atendimento nos postos de vacinação. O pré-cadastro não é obrigatório, mas facilita o trabalho dos profissionais da saúde e beneficia a população atendida.


Governo de SP faz parceria com WhatsApp para pré-cadastro de vacinação O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (7) a abertura de pré-cadastro para vacinação contra a COVID-19 via WhatsApp. Inédita no Brasil, a iniciativa fará a integração entre o site Vacina Já e o canal oficial do Governo de São Paulo no aplicativo de mensagens, garantindo agilidade e praticidade nos futuros atendimentos nos postos de vacinação. A parceria entre as Secretarias de Comunicação e da Saúde do Governo de São Paulo e o WhatsApp viabilizou o uso de um assistente virtual que oferecerá as informações necessárias para o pré-cadastro. Além disso, o chatbot oferece informações confiáveis sobre o programa de imunização estadual, incluindo o calendário de vacinação atualizado, dados sobre o Plano São Paulo e tira-dúvidas sobre o coronavírus. Para acessar o serviço no WhatsApp, basta adicionar o número +55 11 95220-2923 à lista de contatos e enviar um "oi" ou clicar no link wa.me/5511952202923?text=oi . "O uso do WhatsApp como canal de comunicação para o pré-cadastro da vacinação reforça o compromisso da empresa em conectar, de forma simples e rápida, seus usuários com fontes confiáveis e acessíveis de informação no combate à pandemia. A interface amigável e já conhecida do aplicativo trará mais fluidez para a aplicação das vacinas. Seguimos trabalhando para oferecer mais serviços e utilidade ao cidadão pelo canal do Estado de São Paulo no WhatsApp", afirmou Dario Durigan, Head de Políticas Públicas do WhatsApp no Brasil.

O pré-cadastro permite uma economia de até 90% no atendimento de cada pessoa apta a se vacinar. O preenchimento do formulário não é obrigatório e não funciona como agendamento, mas contribui para evitar filas nos postos de vacinação. Até esta quarta, cerca de 4,9 milhões de pessoas já efetuaram o pré-cadastro no site vacinaja.sp.gov.br. "É a tecnologia da comunicação sendo usada em benefício da saúde pública e da vida no Estado de São Paulo", destacou Regiane de Paula, coordenadora do Centro de Controle de Doenças.

Comments


bottom of page