top of page

Bispo de Jales desautoriza manifestações político-partidárias em nome da Diocese


Dom Reginaldo deixa claro que carta aberta da Pastoral da Cidadania recomendando voto em candidatos a deputado foi independente e não teve o e endosso de clérigos

O bispo diocesano de Jales, Dom Reginaldo Andrietta, emitiu Nota Oficial nesta quinta-feira, 22, para desautorizar o uso do nome da Diocese em manifestações político-partidárias ou recomendações nominais de voto. “A Diocese de Jales incentiva iniciativas pastorais que contribuem para o exercício da cidadania responsável, entendida pela Igreja como ‘alto grau de caridade’; valoriza e apoia a missão dos cristãos leigos e leigas na vida pública; no entanto, desautoriza o uso do nome de comunidades, pastorais, movimentos e entidades da Igreja para a campanha de candidatos e partidos; e afirma o direito dos mesmos cristãos leigos e leigas de fazerem campanha a candidatos e partidos, em nome exclusivamente pessoal”, escreveu.

No domingo passado, o padre Júnior Lucato, da Catedral Nossa Senhora da Assunção, já havia ratificado, na missa da noite, a mesma posição da Diocese.

A Nota do bispo foi motivada por uma carta aberta publicada pela Pastoral da Cidadania, instância composta por leigos e leigas, sem participação de padres, diáconos ou qualquer autoridade eclesial.

Intitulada “Por um Voto Cristão Consciente”, a carta da Pastoral dizia que cristãos leigos e leigas das diversas pastorais sociais das diversas paróquias da Diocese de Jales haviam se reunido para discutir ações voltadas para o voto consciente dos cristão nas eleições de 2022.

“É com o voto bem pensado e consciente que podemos eleger candidatos que tenham um verdadeiro cuidado com o poso, especialmente os mais pobres. Considerando este desafio, tomamos a liberdade de propor os nomes de candidatos cujo passado comprova a retidão de seus compromissos. Não negamos que há outros bons candidatos, mas fica a nossa sugestão”, dizia a Pastoral para em seguida apresentar uma lista com nove candidatos a deputado.

A publicação provocou uma enxurrada de raivosas críticas ao bispo e à Igreja Católica, mesmo sem que ele tenha participado ou endossado tal carta.

Sobre isso, Dom Reginaldo escreveu: “Equívocos na forma de exercer a missão cristã podem ocorrer. Eles são corrigidos pelo diálogo pessoal fraterno. Publicações odiosas contra pessoas e entidades, inclusive ministros ordenados, ferem a dignidade dessas pessoas e entidades, são injustas, ilegais e não cristãs.”

VIAGEM

No mesmo domingo, 18, Dom Reginaldo Andrietta informou, na missa das 9h30, que não estará no Brasil no dia da votação do primeiro turno. Ele fará parte do um grupo de bispos da Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que estar;ao em Roma para um encontro com o Papa Francisco e uma peregrinação aos túmulos dos Apóstolos São Pedro e São Paulo de 19 de setembro a 2 de outubro. A visita ‘Ad limina Apostolorum’, em Roma, será realizada pelo episcopado paulista em dois grupos e será um momento de comunhão eclesial com o Papa Francisco, sucessor de São Pedro Apóstolo. O encontro com o Sumo Pontífice está previsto na agenda, assim como visitas aos Dicastérios da Cúria Romana e celebrações nas basílicas papais.

Segundo o Padre Tiago Barbosa, Assessor Eclesiástico da Pastoral da Comunicação (Pascom) do Regional Sul1, a viagem será uma oportunidade dos bispos de promoveram e favorecerem a comunicação entre as dioceses do Estado e a Santa Sé por meio de “um intercâmbio de informações e uma divisão de solicitude pastoral sobre problemas, experiências, sofrimentos, orientações e projetos de trabalho e de vida” (Introdução do Diretório da Visita Ad Limina, 1988).

O Regional Sul 1 da CNBB, que compreende o Estado de São Paulo, é formado por sete Sub-regiões Pastorais: Aparecida, Botucatu, Campinas, Ribeirão Preto I, Ribeirão Preto II, São Paulo e Sorocaba, onde estão inseridas as seis arquidioceses e as 36 dioceses do Estado.


NOTA DA DIOCESE DE JALES

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em sua “Mensagem ao povo brasileiro sobre o momento atual”, publicada no dia 31 de agosto de 2022, conclama “toda a sociedade brasileira a participar ativa e pacificamente das eleições, escolhendo candidatos e candidatas, para o executivo (presidente e governadores) e o legislativo (senadores e deputados federais, estaduais e distritais), que representem projetos comprometidos com o bem comum, a justiça social, a defesa integral da vida, da família e da Casa Comum”. O Papa Francisco em sua Encíclica Fratelli Tutti (Todos Irmãos) - Sobre a Fraternidade e Amizade Social, associa a política à caridade, ao amor e ao bem comum. Segundo ele, “Reconhecer todo o ser humano como um irmão ou uma irmã e procurar uma amizade social que integre a todos não são meras utopias. Exigem a decisão e a capacidade de encontrar os percursos eficazes, que assegurem a sua real possibilidade. Todo e qualquer esforço nesta linha torna-se um exercício alto da caridade” (FT, 180). A Diocese de Jales incentiva iniciativas pastorais que contribuem para o exercício da cidadania responsável, entendida pela Igreja como “alto grau de caridade”; valoriza e apoia a missão dos cristãos leigos e leigas na vida pública; no entanto, desautoriza o uso do nome de comunidades, pastorais, movimentos e entidades da Igreja para a campanha de candidatos e partidos; e afirma o direito dos mesmos cristãos leigos e leigas de fazerem campanha a candidatos e partidos, em nome exclusivamente pessoal. Equívocos na forma de exercer a missão cristã podem ocorrer. Eles são corrigidos pelo diálogo pessoal fraterno. Publicações odiosas contra pessoas e entidades, inclusive ministros ordenados, ferem a dignidade dessas pessoas e entidades, são injustas, ilegais e não cristãs. Cristo é “o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). Contradiz a Cristo quem se diz cristão e dissemina ódio. São João o diz: “Quem odeia seu irmão é assassino e vocês sabem que nenhum assassino tem em si a vida eterna” (1 Jo 3,15). Sigamos, pois, o que Cristo nos ensina: “amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 15,12). Jales, 22 de setembro de 2022.

bottom of page