Artigo Semanal da Diocese de Jales

“ESCUTAR COM OS OUVIDOS DO CORAÇÃO” É ESSENCIAL PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO - Padre José Antonio Soares, Assessor Diocesano da Pastoral da Comunicação


Somos seres de relação, comunicadores por natureza. Isso quer dizer

que eu, você e as pessoas ao nosso redor temos esta característica em nossa

essência. Para termos uma boa comunicação e construirmos boas relações é

fundamental escutar. Quantas vezes complicamos a nossa vida, dificultamos

nosso trabalho, gastamos tempo com discussões desnecessárias e perdemos

oportunidade de manter relacionamentos significativos por não saber escutar?

Todo diálogo, toda relação, começa com a escuta. A busca da verdade começa com a escuta. O mesmo acontece com o testemunho através dos meios de comunicação social, pois escutar é fundamental para uma boa informação. O próprio Jesus nos pede que prestemos atenção em como escutamos e ressalta que para escutar realmente é preciso coragem, é preciso

um coração livre e aberto, sem preconceitos.

Escutar é uma atitude interior, uma predisposição. Para escutar devemos nos colocar numa postura predisposta a receber a mensagem do outro, decodificar, compreender, analisar e responder adequadamente conforme a situação exige.

Na mensagem do Papa Francisco para o 56° Dia Mundial das Comunicações Sociais, celebrado no domingo da Solenidade da Ascenção do

Senhor, ele recorda que “estamos a perder a capacidade de escutar a pessoa

que temos à nossa frente, tanto na teia normal das relações quotidianas como

nos debates sobre os assuntos mais importantes da convivência civil. Ao

mesmo tempo, a escuta está a experimentar um novo e importante

desenvolvimento em campo comunicativo e informativo, através das várias

ofertas de podcast e chat áudio, confirmando que a escuta continua essencial

para a comunicação humana”. O sumo pontífice pede ao mundo da

comunicação que reaprenda a “escutar com os ouvidos do coração”.

A escuta está essencialmente ligada à relação dialogal entre Deus e a

humanidade. No contexto em que vivemos mundialmente a misericórdia é uma

chave de leitura para a vida que nos encoraja a escuta. Escutar os irmãos para

que onde há ódio floresça a concórdia. Com efeito, a comunhão edifica-se na

escuta mútua entre irmãos e irmãs.“Quem não sabe escutar o irmão, bem

depressa deixará de ser capaz de escutar o próprio Deus”.

Neste tempo em que toda a Igreja é convidada a escutar para aprender

a ser uma Igreja sinodal, todos nós somos convidados a redescobrir a escuta

como essencial para uma boa comunicação, fundamental para construirmos

boas relações, colaborarmos e fazermos crescer uma sociedade mais sadia,

mais aberta a partilha, ao respeito e responsabilização pelo outro.