Menor de idade com 16 anos e passagem por tráfico cometeu homicídio no Jardim América


Um menor de idade com apenas 16 anos é o responsável pelo segundo homicídio cometido em Jales em 2018. A.J.C. foi até a casa da vítima em companhia do ex-enteado dela (J.L.S.S., de 19 anos) para fumar maconha. Como a vítima os repreendeu, o adolescente pegou uma faca e desferiu golpes no rosto, tórax e pescoço, matando-o instantaneamente.

A.J.C. foi capturado na Vila União, onde mora, no fim da tarde de sexta-feira. Ele tinha saído da Fundação Casa de Araçatuba, onde cumpria punição por tráfico de drogas, no sábado passado.

De acordo com o delegado Sebastião Biazi, o adolescente foi levado para a Cadeia Pública de Santa Fé do Sul e será transferido para uma instituição para menores.

JLSS, de 19 anos, é filho da ex-mulher da vítima. Ele ainda está em liberdade, mas a polícia está apurando a sua participação no crime e não descarta indiciá-lo por coautoria no homicídio.

TIM estava caído entre o sofá e o armário da cozinha - Jales Notícias

O CRIME

Ailson Lopes da Silva, o Tim, de 54 anos, foi morto na tarde da última quarta-feira, 11 de julho, na sua própria casa, rua Dezenove, no Jardim América. Ele sofreu diversas facadas no pescoço, peito e rosto. Seu corpo foi encontrado caído na sala em meio a uma poça de sangue, quando a namorada foi ao local. Ela teria tentado entrar em contato com a vítima por telefone, mas, como as ligações não foram atendidas, ela resolveu procurá-lo pessoalmente.

Os investigadores acreditam que tenha havido uma rápida luta corporal dentro do imóvel, já que o sofá estava virado e tinha uma grande mancha de sangue, que também respingou na porta de entrada da sala. O imóvel é uma casa bastante simples, com uma cozinha, que também serve de sala, um quarto e um banheiro. O terreno estava sendo usado como desmanche de veículos e tinha saída pelos fundos para Vila União, por onde a polícia suspeita que o criminoso tenha escapado.

Casa onde o cimre foi cometido fica na rua Dezenove, no Jardim América - Jales Notícias

Documentos, celular e a carteira com dinheiro foram encontrados com a vítima, o que fez a polícia descartar o crime de latrocínio, que é o homicídio motivado por roubo. A investigação apura se o homem tinha antecedentes criminais ou envolvimento com criminosos. “Trabalhamos com uma linha de investigação, mas estamos levantando todas as informações e não descartamos nenhuma suspeita”, disse o delegado.

Tim morava com as três filhas, que não estavam em casa porque passam férias escolares com a mãe, que também mora em Jales. Seu corpo foi sepultado às 13 horas de quinta-feira.

SEGUNDO HOMICÍDIO DO ANO

O crime é o segundo homicídio registrado em Jales neste ano. O primeiro foi um feminicídio ocorrido no dia 22 de maio no Jardim Oiti. Alciene Souza Oliveira, então com 24 anos, foi morta violentamente com cerca de 30 facadas desferidas pelo próprio companheiro durante um acesso de ciúme.

P.A.H.B., um auxiliar de almoxarifado de 27 anos, foi preso pela Polícia Militar nas proximidades do local do homicídio. Ele contou que agrediu a mulher com socos e pontapés e bateu com a cabeça dela no chão até que ela desmaiasse. Depois pegou uma faca e desferiu vários golpes até que o objeto entortasse e ficasse inútil. Em ato contínuo, ele pegou uma segunda faca e continuou as agressões até que a sua mãe interviesse. Na tentativa de slavar a nora, a dona de casa O.H.C., de 59 anos, também ficou ferida na perna.

Antes disso, o último homicídio em Jales tinha sido registrado em junho de 2016, quando um casal matou um homem a pauladas e pedradas durante uma sessão de uso de drogas na calçada de uma casa na rua Professor Rubião Meira. O casal vai a juri popular no fim do próximo mês de agosto.