Acidente na Euclides da Cunha mata o “Professor Saquinho”


Mais um acidente fatal foi registrado na rodovia Euclides da Cunha (SP-320). Dessa vez, a vítima foi o professor de educação física e bancário, Carlos Jose Sacco, conhecido como “Saquinho”. Sua morte prematura chocou a cidade, onde ele tinha muitos amigos, colegas de trabalho e alunos.

O professor Saquinho durante movimento em Jales - FOTO Cardosinho

O acidente aconteceu pouco antes das 9h30, no quilômetro 603, próximo a Santa Salete. Informações de testemunhas dão conta de que o professor se dirigia de motocicleta para Santa Fé do Sul, onde trabalhava na agência local do Banco Santander havia cerca de dois anos. Ele teria tentado ultrapassar um caminhão e não percebeu uma pick-up de uma empresa de nutrição animal de Santa fé do Sul,que vinha atrás e o atingiu em cheio, causando morte instantânea. A Fiat Strada, placas FDR-6151 ficou com a parte dianteira parcialmente destruída, mas o motorista não sofreu ferimentos. O motorista do caminhão também saiu ileso.

Diretor de imprensa do Sindicato dos Bancários para a região de Votuporanga, Saquinho era um dos mais atuantes defensores dos direitos da categoria e costumava liderar os movimentos paredistas na cidade.

Além de bancário e sindicalista, Saquinho era professor de educação física e proprietário da Academia New Corpus, de Jales. Ao longo de sua carreira, o profissional ajudou a melhorar o condicionamento físico de centenas de pessoas, inclusive participando de corridas e maratonas famosas como a São Silvestre, em São Paulo-SP. Era comum ver Saquinho conduzindo a sua turma em passo acelerado pelas ruas e avenidas de Jales todos os fins de tarde. Entre os seus alunos estão empresários, advogados, médicos e pessoas comuns que tiveram a sua vida modificada por conta de seus ensinamentos.

Saquinho tinha 59 anos, era casado com Célia Maria de Almeida e deixa duas filhas, Luana e Juliana.