Febre amarela: macacos achados mortos em Ilha Solteira são enviados para análise


A Vigilância Sanitária enviou para análise dois macacos encontrados mortos em Ilha Solteira. Apesar de, aparentemente, não apresentarem sintomas da febre amarela, o exame é para verificar se os animais foram mortos pela doença.

Macaco encontrado morto em Fernandóplis

Segundo Márcia Rúbio , da Vigilância Sanitária de Ilha Solteira, os animais foram encontrados mortos na estrada que dá acesso ao Porto de Navegação e na rodovia que liga Ilha Solteira a Itapura. “Foram moradores que encontraram os animais e nos informaram. E os mandamos para análise por precaução, já que, aparentemente, eles não estavam doentes”, disse Márcia.

O mesmo procedimento foi feito pela Vigilância Sanitária de Fernandópolis, onde também foi encontrado um macaco morto.

O animal foi encontrado no dia 8 de dezembro e a confirmação de que ele tinha sido vítima da doença foi recebida na segunda-feira, 26, depois de exames feitos no Instituto Adolfo Lutz.

Até agora, 11 cidades da região registraram mortes de macacos pela doença. A outras são Catanduva, Ibirá, Rio Preto, Pindorama, Potirendaba, Adolfo, Catiguá, Cajobi e Severínia.

LEIA A NOTÍCIA COMPLETA AQUI

Vale ressaltar que os macacos não são transmissores da febre amarela, mas sim os mosquitos, o Haemagogus e o Sabethes, em áreas rurais, silvestres e de mata, e o aedes aegypti (que também espalha a dengue, a chikungunya e o vírus da zika), em áreas urbanas. Os macacos servem apenas de alerta para mostrar que a doença está em circulação e que a população que vive ali perto precisa ser vacinada.