em procedimento inédito, Santa Casa de Jales implanta Marca Passo da Dor


A Santa Casa de Jales está dando mais um importante passo na medicina com os avanços tecnológicos e tornando-se um centro de referência regional no tratamento da dor. Na última sexta-feira, 4 novembro, foi realizado pela primeira vez na instituição, o implante de eletrodo medular, também conhecido como “Marca-Passo da dor”. O implante de eletrodo epidural para estimulação da medula espinhal é uma técnica cirúrgica que tem se demonstrado eficiente e segura para os pacientes que sofrem de dor crônica. Esses estímulos elétricos têm a função de inibir as vias supressoras que interpretam a dor, bloqueando a interpretação do estímulo doloroso, substituindo a percepção da dor por uma sensação de formigamento no território acometido.

De acordo com o neurocirurgião Pery Prado Neto, esse procedimento acontece por meio de uma pequena incisão do eletrodo que é colocado na região da coluna, desse modo o paciente permanece com um controle manual e pode monitorizar os estímulos a serem enviados para medula, tendo como objetivo aliviar ao máximo os sintomas. “Após cerca de uma a duas semanas do procedimento inicial e com o resultado satisfatório do nível de dor, a cirurgia passa por outra fase, sendo assim, um gerador interno e definitivo é implantado podendo ficar alojado na região do abdômen ou no tórax”, detalhou. As indicações para o neuroestimulador implantável para estimulação da medula espinhal inclui o tratamento de dor crônica e intratável dos membros ou do tronco, englobando dores unilaterais e bilaterais associados às seguintes condições. Doenças neurológicas e da coluna: - Failed back syndrome: pacientes que permanecem com dor após cirurgias da coluna vertebral. - Dor secundária a cirurgias de hérnia de disco. - Persistência da dor após doença herpética. - Dor crônica após lesão do plexo braquial. - Síndrome complexa regional Causas Vasculares: - Dor no coto de amputação. - Dor isquêmica de membros inferiores (aterosclerose). Causas Cardiológicas: - Angina intratável e de etiologia estabelecida e controlada.

A realização deste procedimento de alta complexidade contou com a colaboração e dedicação dos neurocirurgiões Dr. Pery Prado Neto e Dr. Sergio Barata de São Paulo, dos anestesistas Dr. Ricardo Leal, Dr. Ricardo Perbeline, Dr. Carlos Humberto, do programador da empresa Cortical de Ribeirão Preto Davi Bueno, dos instrumentadores Danilo Canzian e Valdirene, as auxiliares de sala Natália e Fabiola e o técnico de Raio-X Wagner Aijado. Esse método é pioneiro regionalmente e disponível para o setor de medicina privado.