Por questão de segurança, Catedral remove cruzeiro da praça


Em comum acordo entre padres e o bispo Reginaldo Andrieta, a Catedral Diocesana decidiu recolher da praça o cruzeiro que estava instalado ao lado da catedral. Marco religioso e histórico da cidade, o objeto apresentava sinais de deterioração e poderia colocar em risco os transeuntes que circulam pela local e os veículos que ali ficam estacionados. O cruzeiro foi retirado na manhã de segunda-feira e será mantido em local seguro que ofereça melhores condições de conservação. A Diocese planeja construir uma torre na qual ele será colocado definitivamente.

O pároco da Catedral, Valdair Aparecido Rodrigues, publicou uma Nota Oficial no site da Catedral, na qual lembra que o cruzeiro passou por diversas restaurações, mas atualmente não possui condições de se sustentar devido à deterioração causada pela exposição ao tempo.

Foto: Rádio Assunção

Leia a nota:

Uma das belezas que compõem a Praça da Catedral é nosso Cruzeiro. Um símbolo especial de demonstração da fé do nosso povo e ainda um marco histórico para nossa cidade e diocese. Esse Cruzeiro, que está ao lado da Catedral, já passou por muitas restaurações e, atualmente, constata-se que não possui a sustentabilidade necessária por si mesmo, devido à sua deterioração interna.

Em reunião de todos os padres da Diocese com Dom Reginaldo e Dom Demétrio, decidiu-se pela retirada do Cruzeiro da referida praça. Teme-se que ele possa cair a qualquer momento, o que põe em risco as pessoas que por lá transitam e os veículos ali estacionados.

Com o teor histórico que possui, o Cruzeiro será restaurado, guardado até o momento oportuno em um espaço interno da igreja da Catedral. Com o passar do tempo, pretende-se levantar uma torre na mesma praça, o que caracterizaria ainda mais nossa Catedral como Sé Diocesana. Essa torre, com o Cruzeiro implantado internamente, se tornaria um espaço de visitação e devocional.

Grato pela atenção e compreensão, desejo a todos a paz e as bênçãos do Senhor. Assinado, padre Valdair Rodrigues.