Botijão de gás aumenta 12%. Donas de casas passaram a pagar R$ 65,00 pelo botijão de 13 quilos


Desde a última semana, o preço do botijão de gás aumentou 12%. O valor do mais usado pelas donas de casa, o de 13 quilos, que era de R$ 56,00 passou para R$ 65,00. O de 45 quilos, usados por restaurantes, por exemplo, subiu de R$215,00 para R$ 235,00.

O botijão de 20 quilos, usado em indústrias também está mais caro. Ele passou de R$ 100,00 para R$ 110,00. O menor, de dois quilos, foi de R$ 30,00 para R$ 35. Já o botijão de cinco quilos subiu de R$ 40,00 para R$ 45,00.

O presidente da associação que representa os revendedores de gás em São José do Rio Preto explica que o aumento já estava programado para este ano. “Esse reajuste acontece todo ano em função da data base do dissídio da categoria. Mas esse ano tem acumulado de inflação de 9,5% que será repassado aos funcionários, mas o custo de produção está defasado”, afirma Éder Freitas.

Segundo Éder, é preciso desconfiar de preços mais baratos, geralmente repassados por empresas clandestinas. “É preciso verificar o lacre, a procedência do botijão para não correr riscos”, afirma.

De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigas), atualmente existem 99 milhões de botijões em circulação em todo o país e, a cada dia, são entregues 1,5 milhão de botijões aos consumidores brasileiros. Sete grandes empresas controlam 96% do mercado brasileiro de GLP, sendo que as quatro maiores são: Ultragaz, com 23,11% do total, Liquigas (22,61%), Supergasbras (20,58%) e Nacional Gas (19,16%).