Assembleia fracassa e greve dos bancos não deve afetar privados em Jales


A assembleia de bancários marcada para a manhã desta segunda-feira, 12, reuniu apenas cinco trabalhadores na praça João Mariano de Freitas. A avaliação dos próprios bancários era de que dificilmente os funcionários de bancos privados iriam aderir ao movimento. Um deles era dado como descartado. O HSBC já tinha comunicado aos sindicalistas que não interromperia seu atendimento.

Com isso, apenas os bancos públicos, uma agência da Caixa Econômica Federal e as duas do Banco do Brasil permanecem com atendimento prejudicado por conta da greve.

No mesmo horário (9 horas) haveria assembléias em Santa Fé do Sul e Fernandópolis. Não se sabe o resultado.

Na última sexta-feira, dia 9, a federação dos bancos (Fenaban) voltou à mesa de negociação com o Comando Nacional dos Bancários e apresentou proposta de 7% de reajuste mais R$ 3.300 de abono.

A proposta foi rejeitada e diante da recusa do Comando, uma nova rodada de negociação foi marcada para terça-feira 13, às 14h, em São Paulo.