Operação contra pornografia infantil apreende dois computadores em Jales


A Polícia Civil realizou nesta sexta-feira, 2 de setembro, a segunda fase da Operação Peter Pan, com objetivo de combater a divulgação de pornográfica infantil na internet. Em Jales foram apreendidos dois computadores contendo vídeos de sexo de crianças e adolescentes. Os suspeitos foram autuados em flagrante.

Os mandados de busca começaram a ser cumpridos às 6 da manhã e os aparelhos passarão por perícia para averiguar se o material foi compartilhado ou se foram apenas baixados pelos suspeitos, que prestaram depoimentos. A pena para o compartilhamento, publicação ou exposição de imagens de sexo explícito com crianças e adolescentes pode render pena de três a seis anos de reclusão e multa. Apenas manter as imagens, porém, sujeita o autor a pena de um a seis anos de reclusão e multa.

Operação Peter Pan - Foto Diário da região

Em todo o Estado de São Paulo, foram cumpridos 108 mandados de busca e apreensão. Em Rio Preto, uma equipe da Polícia Civil está investigando uma casa onde moram oito pessoas, entre elas duas crianças. A polícia apreendeu os computadores da casa para saber se realmente existem os arquivos pornográficos e quem teria baixado as imagens e vídeos e compartilhado na web.

Um professor de informática da rede estadual foi preso em Bálsamo, e um professor aposentado foi preso em Cosmorama. A polícia prendeu também um homem em Guapiaçu.

Estão sendo cumpridos 16 mandados. Quatro pessoas já foram presas, entre elas um professor de informática da rede estadual, em Bálsamo. Na casa dele foi apreendido um computador com material de pornografia infantil.

Na região de Araçatuba (SP), além de Penápolis, os mandados são cumpridos em Birigui (SP), Buritama (SP) e Ilha Solteira (SP). Em cidades do Centro-Oeste Paulista, como em Jaú (SP), onde quatro pessoas foram presas, e Assis (SP), onde houve uma prisão, também são cumpridos mandados de busca, apreensão e prisão.

A primeira fase da operação foi em maio deste ano, quando policiais cumpriram 15 mandados de busca e apreensão em cidades da região. Oito pessoas foram detidas e sete presas, entre elas um policial militar de Birigui, que armazenava e compartilhava material pornográfico infantil.

Os trabalhos de investigação começaram há cinco meses. Na primeira fase da operação, 15 pessoas foram detidas, entre elas um policial militar de Birigui que armazenava e compartilhava material pornográfico infantil.