Moradores denunciam crime ambiental no Açoita Cavalo


A Polícia Militar Ambiental de Jales e representantes da Secretaria de Meio Ambiente estiveram na estrada municipal JAL 350, no Córrego do Açoita Cavalo, nas proximidades da divisa com Estrela D’Oeste, para apurar denúncia de crime ambiental efetuada pelos próprios moradores em propriedades rurais daquela localidade.

Para-brisas de caminhões e outros materiais, que aparentemente eram de vidraças de janelas de ônibus, foram depositados próximo ao Córrego do Açoita Cavalo, o que, segundo os policiais militares ambientais, caracteriza crime ambiental.


De acordo com a secretária de Agricultura e Meio Ambiente, Silvia Andreu Avelhaneda Pigari, “descarte irregular de lixo é crime ambiental (Lei Federal 9.605 de 12 de fevereiro de 1998), independentemente do local, zona urbana ou rural. Não é a primeira vez que este tipo de crime ocorre neste mesmo local”.

Os servidores da Secretaria de Agricultura recolheram materiais como graxa, embalagens de agrotóxicos e vidros de automóveis. Foi registrado Boletim de Ocorrência na Polícia Civil. “A Coordenadoria de Defesa Agropecuária Estadual e a Policia Militar Ambiental foram comunicadas, tendo dado, prontamente, o apoio necessário para apurar todos os fatos e realizar as investigações necessárias. Todos os materiais tóxicos foram acondicionados corretamente e descartados em locais indicados pelos órgãos ambientais”, ressaltou a secretária.


Vale lembrar que materiais como para-brisas de veículos, quando não mais utilizados e que precisam ser descartados, poderão ser direcionados para a Cooperativa de Trabalho Regional Solidária de Catadores de Resíduos Sólidos – Coopersol, pois o material é comercializado pela Cooperativa.

Todos os direitos reservados .Todo o conteúdo, incluindo texto,fotos e áudios,protegido pela Lei Federal 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pela "Declaração de Hamburgo". Autorizada reprodução desde que citada a fonte.

Contato (17) 98123-6278

ou alexandreribeiro.carioca@gmail.com