Artigo semanal da Diocese de Jales: A família e seu desafio de ser Igreja Doméstica

A família e seu desafio de ser Igreja Doméstica


Felizes os que temem o Senhor e trilham os seus caminhos” (Sl 127,1). Assim somos chamados a viver e construir a vida da nossa família, sempre na obediência e respeito ao Senhor.

Sabemos o quanto é difícil hoje conduzir a vida dos filhos, mostrar um caminho que possibilite a eles um crescimento espiritual, psicológico e social. O mundo apresenta muitos caminhos que dificultam o discernimento e a compreensão sobre qual caminho devemos seguir, e muitas vezes os pais se veem perdidos no processo de educação dos seus filhos.

Hoje vivemos uma mudança antropológica e cultural muito rápida da sociedade que gera um individualismo muito forte nas pessoas, que acaba desvirtuando os laços familiares, colocando cada membro da família como uma ilha.

É preciso olharmos para as famílias como ambientes que possam possibilitar a integração dos seus membros, lugar de encontro e de partilha. Não podemos fazer da família apenas lugar de refúgio e isolamento. É necessário olharmos para a família como ambiente sagrado, de comunhão fraterna. A família deve ser uma verdadeira Igreja doméstica.

Na família somos chamados a construir laços que nos possibilitam olhar a vida do outro como dom de Deus. É muito importante que os pais saibam reconhecer que em seu lar existem diversos altares para celebrar o encontro. Um altar esquecido hoje é a mesa da refeição, ambiente que possibilita o diálogo, o encontro com a vida do outro, mas, pela mudança de época e o avanço tecnológico, o estar perto, significa estar longe, cada um no seu mundo virtual.

Diante desta realidade desafiadora, é preciso olhar para a família como um ambiente sagrado, que possibilite ressoar sempre o primeiro anúncio (Querigma). Os pais não podem esquecer da sua missão e vocação: serem verdadeiros pastores do pequeno rebanho que lhes foram confiados. Essa missão não pode ficar esquecida. É importante oferecer uma formação social para os filhos? Sem dúvida que o é! Mas, essa formação dará mais fruto se também vier agregada a formação religiosa, independente do credo que se professe.

Os valores do Evangelho devem possibilitar e iluminar a nossa formação de cidadãos, de filhos e filhas de Deus. É na família que amadurece a primeira experiência de comunhão entre as pessoas, é aqui que se deve viver o amor fraterno, o perdão generoso e a oração. A família não deve ser lugar de discórdia e divisão. Se isto acontece é por falta de vivência, e experiência do amor de Deus.

É na família que fazemos as nossas primeiras experiências do encontro com o outro, é na família que aprendemos a celebrar a nossa fé. É na família que aprendemos a sonhar: “Não é possível uma família sem sonho. Em uma família, quando se perde a capacidade de sonhar, os filhos não crescem, o amor não cresce; a vida debilita-se e apaga-se” (Amoris Laetitia nº169).

Hoje é preciso olhar para a família como um bem precioso, e mesmo diante das dificuldades: desemprego, pobreza, violência, os pais não podem ser paralisados pelo medo, mas ser encorajados a buscar sempre na fé caminhos que possibilitem oferecer aos seus filhos uma realidade diferente para que possam ser pessoas melhores.

Por mais simples que seja a vida é preciso lembrar sempre que Deus não olha a posse e poder, mas sim o coração que o acolhe, os braços que o abraça no amor generoso. Por isso, a importância da família ser uma verdadeira Igreja Doméstica.



Padre Eduardo Rodrigues Magnani

Administrador Paroquial da Paróquia Santo Antônio de Jales

Assessor Diocesano da Equipe de Subsídios

Todos os direitos reservados .Todo o conteúdo, incluindo texto,fotos e áudios,protegido pela Lei Federal 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pela "Declaração de Hamburgo". Autorizada reprodução desde que citada a fonte.

Contato (17) 98123-6278

ou alexandreribeiro.carioca@gmail.com