Preço do leite sobe e consumidores reclamam da alta


O preço do leite subiu no noroeste paulista e os consumidores têm reclamado da alta. De janeiro a abril deste ano, o preço do litro do leite subiu mais de 13%. Nos últimos doze meses, a alta foi de quase 20%, exatamente 18,90%. Em um supermercado de São José do Rio Preto (SP), o litro do leite de caixinha mais barato, que em janeiro custava R$ 2, 89, está R$ 3,59.

A consultora Joyce Ribeiro diz que não fica sem tomar leite pela manhã, mas comenta que nos últimos meses o café da manhã tem ficado mais caro. "Tomo leite todo dia, não fico sem, a gente tem que ir se adequando com estes reajustes nos preços", diz.

De acordo com a Associação Paulista dos Supermercados (Apas), o preço do leite subiu porque a oferta está menor do que procura. O diretor regional da Apas, Marcos Rogetta, afirma que é um período de entressafra e, além disso, os produtores trocaram a pecuária de leite pela de corte. "A previsão é subir mais um pouco devido à escassez do leite e isso faz o preço aumentar."

A estudante Vânia Souza também não fica sem leite em casa por causa do filho de seis anos. "O preço subiu muito, está difícil, tem que apertar o orçamento para poder comprar, não tem jeito porque tenho que comprar", afirma.

O gerente de compras de um supermercado de Rio Preto, Fábio Nonato, explica que já tem laticínios sem leite para entregar e assim fica difícil negociar preços. "O fornecedor tem repassado custo maior para a compra, com isso o preço de venda também aumenta", explica.

A costureira Maria Isabel Lopes reclama que está tudo caro. "Em todos os lugares é o mesmo preço, não tem onde escolher", diz. O aposentado Orivaldo Bento Soares sempre gostou de leite, mas comenta que não tem bebido como antes. "Tem que se virar com meio litro para caber no orçamento."


Todos os direitos reservados .Todo o conteúdo, incluindo texto,fotos e áudios,protegido pela Lei Federal 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pela "Declaração de Hamburgo". Autorizada reprodução desde que citada a fonte.

Contato (17) 98123-6278

ou alexandreribeiro.carioca@gmail.com