Entidade que gerencia hospital de Rio Preto aceita assumir ambulatório de câncer em Fernandópolis


O governo do Estado de São Paulo reagiu ao anúncio do diretor do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, de que fechará o ambulatório de Fernandópolis e de que faria uma representação contra a Secretaria de Saúde no Ministério Público. Na segunda-feira, 20 de junho, a pasta divulgou que a Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, assumiria o funcionamento da unidade ambulatorial do Hospital do Câncer em Fernandópolis caso a Fundação Pio XII, de Barretos, deixe mesmo a gestão do serviço.

A informação foi confirmada pelo diretor da instituição, Nilson de Angelo, com exclusividade ao Jornal A Tribuna. “Se realmente avançar para que a Fundação Pio XII saia, nós estamos dispostos e vamos assumir a gestão para continuidade do serviço e vamos trabalhar com força juntamente com toda a região”.

Ele negou que a associação já tenha fechado acordo com o governo do estado e acrescentou que, para a entidade sentar à mesa será para discutir financiamento e manutenção de equipamentos e prédio. “Se retirar o prédio e os equipamentos, engessa o serviço. A Secretaria sabe que sem recurso não tem como tocar o serviço, não tem nem como assumir. Mas eu não acredito nisso. Ainda acredito num diálogo”.

O diretor, contundo, ressalvou que ainda espera um acordo entre a fundação e a Secretaria de Saúde e torce para que a gestão permaneça como está. “As pessoas não podem perder. A gente gostaria que tudo acontecesse em paz entre eles, que eles chegassem a um acordo, Assumiremos somente se for necessário, mas Quem está aí merece todo o nosso respeito”, ressalvou.

A associação é uma Organização Social de Saúde (OSS) sediada em Jaci-SP e que já atua no gerenciamento de unidades de saúde do governo do Estado, como os hospitais estaduais e os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) de São José do Rio Preto e de Presidente Prudente.

A OSS informou à Secretaria ter condições de assumir a unidade de Fernandópolis imediatamente, e com o compromisso de que não haverá alteração no quadro de funcionários ou interrupção no atendimento prestado à população.

O prédio onde hoje funciona a unidade pertence à Associação de Voluntários de Combate ao Câncer (AVCC), que em 2012 doou o imóvel à Fundação Pio XII, com a condição de que ela mantivesse um serviço de saúde ali.

Segundo a Secretaria, caso a Fundação deixe de gerir a unidade ambulatorial, a AVCC retoma o imóvel e poderá cedê-lo à Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, por comodato ou doação.A transação seria feita sem aportes financeiros e com os repasses que ela já recebe do governo estadual.

O Hospital de Câncer de Jales negou que os equipamentos da unidade ambulatorial de Fernandópolis estejam sendo desligados e trazidos para Jales. E desconhece os termos do suposto acordo com a Associação de Jaci.

MANIFESTAÇÕES

Uma manifestação realizada na manhã da última terça-feira, no centro da cidade, reuniu pouquíssimas pessoas. O horário (às 7 horas) e a falta de divulgação prejudicaram a presença. Mas um novo protesto está marcado para o dia 3 de julho, domingo que vem, às 9 horas, em frente ao Hospital de Câncer de Jales. O evento promete ser muito mais representativo, já que conta com o apoio da AVCC (Associação de Voluntários no Combate ao Câncer) de Jales, Urânia e Fernandópolis, além do grupo Voluntários do Bem, de Palmeira d’Oeste, e da Prefeitura Municipal de Jales.

Batizada de “Credencia Já!”, a manifestação terá como mote o credenciamento das unidades de Jales e Fernandópolis. Foram convidados a imprensa, entidades de classe, políticos, igrejas e população em geral.


Todos os direitos reservados .Todo o conteúdo, incluindo texto,fotos e áudios,protegido pela Lei Federal 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 e pela "Declaração de Hamburgo". Autorizada reprodução desde que citada a fonte.

Contato (17) 98123-6278

ou alexandreribeiro.carioca@gmail.com